Fale conosco pelo WhatsApp

Blog

interatividade na loja conceito

A Loja Conceito e seus fundamentos no projeto de arquitetura

Estamos observando nos últimos anos uma tendência que tem ganhado cada vez mais o seu espaço no mercado: a Loja Conceito. A Loja Conceito possui o foco na experiência do usuário. Em virtude disso, é importante que esse cliente se demore mais no espaço e, com isso, conheça melhor os produtos e serviços oferecidos pela marca. Legal, né?

Essa tendência tem sido observada em lojas franqueadas de grandes redes como Cacau Show e o Boticário que já possuíam um modelo de loja funcional padrão e, atualmente, estão investindo na modalidade de Loja Conceito que proporciona uma experiência diferenciada. No entanto, não foram apenas as grandes empresas que incorporaram a Loja Conceito, mas também startups. temos observado também que startups têm procurado investir na Loja Conceito, por entenderem a importância de um espaço de qualidade para valorizar a marca e, assim,  crescer.

Aqui no escritório trabalhamos em grande parte com Projetos Comerciais e, mais especificamente, para a Loja Conceito acreditamos que é fundamental considerar alguns pontos chave:

1. Identidade visual

Em primeiro lugar, destacamos que o estudo minucioso da identidade visual da empresa  é um aspecto que consideramos logo no início. Nesse sentido, pretende-se valorizar suas virtudes e criar um ambiente que dialoga com a identidade gráfica.

2. Público alvo

Qual o perfil que irá frequentar esse espaço e quais as necessidades desse público? Como o projeto pode contemplar isso? Conhecer o seu público pode contribuir para uma solução mais assertiva.

3. Impacto visual

Como a loja conceito se diferencia das lojas comuns, o ambiente deve ser impactante de forma a encantar o cliente no primeiro momento. Portanto, é muito importante pensar na fachada ou vitrine dessas lojas. Para isso, as vitrines devem ser convidativas ao público e também deixar aquela marca registrada para que assim a loja seja facilmente reconhecida em diferentes localizações geográficas.

4. Experiência do usuário

Certamente, o grande diferencial da Loja Conceito é a experiência do espaço, experimentar diferentes ambientações como espaços instagramáveis para fazer retratos, lounges para fazer uma pausa ou ateliês que promovam oficinas e eventos com os produtos vendidos. Em síntese, todos esses são mecanismos de engajar o cliente àquela marca no espaço físico e nas mídias sociais e, para isso, é preciso entender qual a experiência que a marca almeja para o cliente.

5. Interatividade e a tecnologia como interface

A tecnologia configura um grande potencial como ferramenta de engajamento nos espaços físicos e mídias sociais. Ademais, a tecnologia pode enriquecer a experiência do usuário, que pode aprender ou interagir com conteúdos digitais relacionados ao ramo da empresa,e a repercussão nas redes ainda pode despertar nos internautas o desejo de conhecer o espaço e se tornar um novo cliente.

6. Contratar profisionais da área

Por fim, salienta-se que, a fim de amarrar estas e outras premissas do projeto, é fundamental contratar um escritório especializado  para garantir o objetivo idealizado. Então, isso permitirá desde o desenvolvimento participativo do projeto conceitual que pode contribuir na prospecção de investimentos até a elaboração de projeto técnico para a  execução da loja.

Projeto exemplar

Um exemplo disso é o projeto que fizemos para a Loja da Conceito da Insole, onde amarramos todos os pontos chave mencionados anteriormente e, sobretudo, a tecnologia como estruturante na interatividade do espaço físico – como uma extensão espacial – que tem tudo a ver com branding da empresa.

a Loja Conceito

texto escrito por Joyce Lemos